BRASIL, Sudeste, SAO PAULO, Mulher, Coleções e miniaturas, Arte e cultura, gatos

 

    Miniaturas Regina Passy-Yip
  MiniClube/Roselly Pizzolotti
  Miniaturas Ramon
  Art em Miniatura
  Carolina Fazendo Arte
  Artisans in Miniature


 

 
 

  Todas as mensagens
  Link
  Evento


 

   

   


 
 
mini reforma



Construindo uma casa

Ganhei um chalé (1:12) da minha amiga Vitória Alves.

Logo que ganhei tirei as partes da caixa e começou a dar aquela coceirinha nas mãos, uma vontade danada de montar, pintar, e dar o meu toque.

Então vou postar aqui os passos da "construção"da casa.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fiquei tão animada que nem tirei foto das peças cruas. Na foto acima você vê as paredes da casa. Verdinho por fora e amarelinho por dentro. Tudo bem clarinho.

Então escureci os pisos. Não me esforcei para deixá-lo homogêneo, porque depois eu risquei as linhas das tábuas e passei goma-laca por cima.

Final do primeiro dia; não aguentei e montei as partes provisoriamente.

Segundo dia: pintei os tetos de branco.

Na base comecei a preparar o piso externo. Colei pedaços de caixa de ovos (papel reciclado).

Pintei de branco e depois, com o mesmo pincel, bati levemente tinta cinza sobre as "pedras".

Final do segundo dia: com grama feita de serragem tingida.

Mais dois dias e eu já estava pintando portas e janelas.

Até então eu não sabia o destino da casa, mas tinha vontade de fazer algo realmente BOM a partir dela. Foi então que recebi o pedido da d. Laurita, através da Sônia, para que fizesse um quartinho para uma pessoa muito Especial, a Sandrinha. E quem é a Sandrinha? É uma menina de aproximadamente uns 8 anos (e idade biológica de 54 anos). Achei perfeito! De agora em diante trabalharia sabendo exatamente que tipo de acabamento dar.

Foi nessa hora que comecei a notar alguns detalhes na casa que não poderiam existir numa casa real. Senti falta de rodapé (pelo menos na sala precisa ter!). A abertura do vão para a escada era muito pequena (muito comum em casinhas, economiza espaço); o vão da escada não tinha guarda-corpo (já imaginou se uma pessoinha cai lá de cima?). E banheiro? Como viver na casa sem banheiro?

Então que quebrei a cabeça para inventar as louças, e decobri que podia fazê-las facilmente com garrafinhas plásticas de amostras de vinho do porto.

e a banheira foi feita a partir de uma saboneteira de acrílico e massa biscuit.

Os móveis são de mdf. Sandrinha não perde um programa do Gugu.

Ela também é muito, mas muito mesmo, fã do Roberto Carlos. Então escondi discos do rei dentro da gavetinha da penteadeira.

Coloquei um baú na cabeceira da cama, que se encaixa perfeitamente ao lado da escada. Quem acorda não bate a cabeça no teto, e tem espaço para abrir o baú (mais presentinhos dentro do baú).

Ah, é Natal! A casa está enfeitada para Natal. Eu tenho um presépio bem minimini, mas infelizmente não achei - gostaria de ter colocado também.

E assim ficou a fachada da casa.

e assim por dentro. Olha lá a Sandrinha no quadro verde! No momento dessa foto a pessoinha recebia visitas.

Ela fez uma limonada e a visita comia um sanduíche. Na mesa da sala um pudim de leite aguarda o intervalo do programa.

Criei o banheiro separando espaço com uma parede de policarbonato fosco. Assim entra luz da porta do terraço, ao mesmo tempo que mantém a privacidade da pessoinha. O banheiro não tem porta porque nessa casa mora só uma pessoa. Ah, e essa pessoa não cozinha. Como ela é sozinha pede tudo pelo delivery.

E esta é minha foto preferida, uma casa com porta aberta, como o coração da d. Laurita e do dr. José, pais da Sandrinha.

Comecei este post no início de novembro, e terminei poucos dias antes do Natal.

 

 



Escrito por Regina Passy-Yip às 00h42
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]





[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]